28 de novembro de 2016

...


Ultimamente tenho lido muito.
Não livros, mas textos, blogs e sites de autores novos/ jovens.
Encontrei muita coisa boa, encaminho aos amigos (dando o devido crédito autoral).

Não sei se isto me deixa sem ideias, ou se é todo o contexto da situação.

Tem sido complicado, uma fase estranha...

Dezenas de livros me aguardam, alguns ainda embalados em plástico, ali a espera de serem descobertos, devorados, mas agora não dá...

Estou assim, mas uma hora passa, tem que passar!

Até lá...

21 de novembro de 2016

16 de novembro de 2016


(...)

Psicossomática

Pescoço
O pescoço é a parte que conecta a razão (cabeça) e os sentimentos (corpo). Problemas de pescoço demonstram um conflito entre estas duas partes. Metafisicamente, isso pode ser explicado como uma ponte entre materialidade e espiritualidade. Problemas de pescoço são resultados da rigidez. A pessoa tem medo de virar a cabeça para ouvir a verdade que está atrás dela. Elas ignoram a situação, ao invés de enfrentá-la. Quando você tem dor de garganta, é bom acenar ou balançar a cabeça. Isso indica que você tem dificuldades em dizer Sim” ou “Não”.
Meu pescoço me faz sofrer há dois meses...  Está aí a explicação!

Há pouco tempo atrás fui a uma consulta oftalmológica, fiz exames de rotina e estando tudo em ordem, só precisei aumentar o grau da lente para leitura (coisas da idade).

O que me chamou atenção no profissional foi que era canhoto e a aliança (muito bonita) que usava no anelar. Não sei nem se olhei muito, mas não tinha como deixar de reparar, pois canhotos (de um modo geral) viram a folha/ bloco para escrever melhor.

Há dias, contatei o consultório do oftalmo, pois o meu colírio terminou e estava sem receita para compra. Deram duas opções, buscar a receita no consultório onde fui na primeira vez ou em outro, no caminho de casa - que eu não conhecia.

Peguei no primeiro consultório, estava com a secretária.

Por curiosidade entrei no prédio do segundo consultório,  apenas para ver onde ficava localizado, caso precisasse de outra consulta. Já tinha anoitecido e havia uma mesa no hall de entrada, antes do acesso aos elevadores.

Havia duas folhas sobre esta mesa, em uma delas estava escrito que o horário de atendimento do consultório de oftalmologia já encerrara (coincidência?), informando o telefone para contatar no dia seguinte.
Na outra folha, para minha surpresa, parecia mais pessoal. Como assim?

Estava escrito algo assim: "Aguardei sua presença hoje, mas como não veio (nem sei se virá), gostaria que soubesse que, apesar de saber da minha situação (reparou na minha aliança), tenho interesse em lhe conhecer melhor. Você não sabe ou conhece, mas tenho problemas que me fazem querer esquecê-los... Meu contato está aí, se quiser me ligue. Estarei esperando por sua ligação. F."

Oi?
Como assim? Não se pode olhar, reparar apenas um detalhe na pessoa?

Saí com a folha na mão, sem saber se era endereçada a mim... E acordei.

Isto mexeu comigo... ando perdida e sensível...

Devo dizer que realmente fui ao oftalmo, aumentei o grau de leitura, não esqueci de pegar a receita do colírio, não precisei retornar em seu consultório, não era canhoto, usava aliança e seu nome não começava com F.





14 de novembro de 2016


Perdida...

13 de novembro de 2016


Eu faltei em algumas aulas importantes:

a) Como arrumar a mala para caber tudo dentro;
b) Como encaixotar pertences;
c) Como não esquecer itens importantes na mala ou nas caixas.

Nota 0.


2 de novembro de 2016

Novembro chegou.
Por sinal ontem merecia uma postagem da Magia da canela mas acabei esquecendo, não de fazer, mas de postar...

Vi muitas postagens da rede social, onde as pessoas pedem que "novembro" traga o que outubro não trouxe... Isto não vai acontecer, certo?

Não vai ser a virada de mês que vai mudar alguma coisa, a não ser a folhinha do calendário...

Não é a passagem de um mês (para o outro) que vai fazer o milagre acontecer!

Somos nós e somente nós que fazemos alguma coisa!

Quando saímos do lugar, quando nos mexemos é que tudo se move. Não vai ser diferente! Não dá para ficar largada no sofá que alguma coisa vai acontecer! E se acontecer vai ser afundar mais a espuma/ almofada do sofá.

Não espere de "novembro" algo pelo qual não lutou, não batalhou, ok?

Mas é assim: que o mês te inspire, te dê ânimo de correr atrás das suas borboletas...